Loading Player...


Você está ouvindo uma transmissão ao vivo ...
OUÇA EM OUTROS DISPOSITIVOS:
OR Choose your mobile to Tune-In

Seminário discute impactos da seca no RN e ações de enfrentamento

CAERN 1

Aumento do consumo de produtos químicos para tratamento da água, aumento no número de ligações clandestinas em busca de abastecimento de água e, consequentemente, aumento de vazamentos na rede pelas intervenções irregulares, são apenas algumas consequências negativas resultantes da crise hídrica que o Estado vem enfrentando nos últimos anos. Estes e outros problemas, “A Seca no RN: seus impactos e as ações de adaptação”, estão sendo discutidos no Seminário Técnico que começou nesta quarta (22), quando se comemora o Dia Mundial da Água.

O evento integra a Semana da Água no RN, que tem a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) como uma das parceiras, e é realizado até esta quinta (23), na Escola de Governo, com a presença de especialistas na área ambiental e hídrica, tendo ainda como parceiros o Igarn e Semarh.

Os dados apresentados sobre o decaimento da disponibilidade hídrica no RN chamaram a atenção no primeiro painel realizado pela manhã desta quarta, em palestra do Diretor-Presidente do Igarn, Josivan Cardoso, intitulada “A Situação atual da disponibilidade hídrica do RN”. Em 2010, nenhum dos 47 reservatórios monitorados pelo Igarn estavam na situação de volume morte ou seco. Atualmente, temos 12 reservatórios secos e 15 em volume morto. “Nosso maior desafio hoje, que temos apenas 16% do volume total destes mananciais, é manter o maior volume de água disponível no maior tem possível, considerando a prioridade sendo o abastecimento humano, mas sem esquecer dos demais usos da água”, explicou.

Em seguida, Silvana Santana, técnica em controle ambiental pelo IFRN e atuante na área de perdas da Caern, mostrou o quadro geral dos impactos da seca no abastecimento humano e urbanos, dos sistemas operados pela Caern. Ela destacou os vários problemas ocasionados com a seca, que interfere diretamente no faturamento e receita da Companhia, tanto pela incidência de ligações irregulares, mas como pelo aumento de custos operacionais e de tratamento da água, para manter os padrões de qualidade exigidos pela legislação.

A terceira e última palestra da manhã trouxe o diretor técnico do SAAE (sistema autônomo de abastecimento de água) de Santa Cruz, que falou sobre a importância de integrar os SAAE´s existentes, entre si e com o poder público, para conseguir melhorar o serviço à população, o que se torna mais urgente em momentos de seca, quando as parcerias se fazem necessárias para realizações de ações de enfrentamento adequadas.

O evento continua na tarde desta quarta (22) com um painel sobre Impactos da Seca na produção primária, trazendo Guilherme Saldanha (Secretário de Agricultura e Pesca); Flávio Azevedo (Secretário da Sedec) e Amaro Araújo, da FIERN, fechando com Rondinelle Oliveira, Diretor-Geral do Idema. Na quinta, a programação segue com painéis pela manhã e à tarde, focando nas ações de gestão em recursos hídricos, plano emergencial de segurança hídrica e outras ligadas ao tema.

Assessoria de Comunicação Social – ACS

Publicidade:
Clinica Sorrir