Loading Player...


Você está ouvindo uma transmissão ao vivo ...
OUÇA EM OUTROS DISPOSITIVOS:
OR Choose your mobile to Tune-In

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE ITAJÁ REALIZA CAPACITAÇÃO DE TUBERCULOSE PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

Para marcar o Dia Mundial de Combate à Tuberculose e ampliar o acesso à informação, a secretaria de saúde realizou na manhã desta segunda-feira 25/03/ uma capacitação sobre TUBERCULOSE para os agentes comunitários de saúde. A Capacitação chama a atenção para a importância de observar os sintomas da doença, para realização de busca ativa diretamente a domicílio.

A Capacitação foi realizada na Câmara dos vereadores, através da Coordenação de Tuberculose/ Hanseníase do município de Itajá, Fabia Galvão Medeiros Lopes e Coordenação da Atenção Básica Igor Ranniery Fernandes.

A tuberculose é um desafio para os países. Em 2017, estima-se que 10 milhões de pessoas adoeceram por tuberculose e que a doença tenha causado 1,3 milhão de óbitos, o que a mantém entre as 10 principais causas de morte no planeta. A incidência da doença foi 34,8 casos por 100 mil habitantes. Em 2017, dados apontam 4.534 óbitos por tuberculose, resultando em um coeficiente de mortalidade de 2,2 óbitos/100 mil habitantes.

O Brasil atingiu as Metas dos Objetivos do Milênio (ODM) de combate à tuberculose, que previa reduzir, até 2015, o coeficiente de incidência e de mortalidade da doença em 50% quando comparado com os resultados de 1990. Em 2018, foram registrados 72,8 mil casos novos no país.

Apesar de ter avançado, o brasileiro deve ficar sempre alerta, como afirma Denise Arakaki, coordenadora do Programa Nacional de Controle da Tuberculose do Ministério da Saúde. “Começar o quanto antes o tratamento, que é garantido gratuitamente nas unidades públicas de saúde, e mantê-lo até o final é essencial para atingir a cura da doença”, afirma Arakaki.

Para intensificar os esforços no combate à doença, o Ministério da Saúde lançou, em 2017, o Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose, que ratifica o compromisso com a OMS de acabar com a tuberculose como um problema de saúde pública. O plano apoia as três esferas de governo na identificação de estratégias para reduzir a incidência para menos de 10 casos por 100 mil habitantes e as mortes para menos de 1 óbito por 100 mil habitantes até 2035.

Prevenção à tuberculose

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para a tuberculose sensível e resistente, além do tratamento da infecção latente pelo Mycobacterium tuberculoses, com uma variedade de medicamentos. Para as crianças, a principal maneira de prevenir as formas graves da tuberculose é com a vacina BCG também ofertada no SUS.

Outra forma é identificar a “infecção latente pelo Mycobacterium tuberculoses ” em pessoas que tiveram contato com alguém com tuberculose. Neste caso, é necessário procurar uma unidade de saúde, já que, pessoas que possuem o bacilo recebem medicamentos para prevenir.

TRATAMENTO É GRATUITO!

Os doentes que apresentam sintomas de tuberculose são tratados com um esquema de antibióticos por no mínimo 6 meses. O grande problema do controle da tuberculose é o abandono antes do final dos 6 meses. Como os sintomas melhoram em pouco tempo e os efeitos colaterais são comuns, muitos pacientes não   completam o tempo total de tratamento, favorecendo o surgimento de cepas multirresistentes do bacilo de Koch.

A TUBERCULOSE NÃO TRATADA LEVA Á SEPSE GRAVE E MORTE!!

ESTA APRESENTANDO TODOS ESTES SINTOMAS DE TOSSE MAIS DE 3 SEMANAS PROCURE A UNIDADE DE SAÚDE OU A VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA NA SUA CIDADE!!

Fonte: Site – Prefeitura de Itajá

Publicidade: