Loading Player...


Você está ouvindo uma transmissão ao vivo ...
OUÇA EM OUTROS DISPOSITIVOS:
OR Choose your mobile to Tune-In

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAJÁ BATE META DA 1ª FASE DA CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA INFLUENZA

A Prefeitura de Itajá, por meio da Secretaria de Saúde, anunciou na manhã desta quarta-feira (15) que Itajá alcançou a meta de vacinação contra a gripe, após o início da campanha. Mais de 90% do público-alvo, a princípio formado por idosos acima de 60 anos e profissionais de saúde, conseguiu ser imunizado.

A campanha de vacinação contra a gripe em Itajá superou a meta estipulada pelo Ministério da Saúde que é vacinar, pelo menos, 90% de cada um dos grupos prioritários contra influenza e atingiu entre os dias 23 de março a 15 de abril, 110,71% profissionais da saúde e 102,36% idosos, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Foram 774 doses aplicadas nos postos de saúde, entre fixos e de apoio do município.

Segundo o Coordenador da Imunização da SMS, Igor Fernandes, o resultado representa um trabalho de união da equipe. “A adesão da população foi satisfatória, mas o envolvimento das equipes da Saúde da Família resultou nesse trabalho muito bonito de imunização”, relata.
As próximas fases da campanha de vacinação serão:

2ª Fase: A partir de 16 de abril: membros das forças de segurança e salvamento, doentes crônicos, caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e portuários.

3ª Fase: A partir de 9 de maio: professores, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, grávidas, mães no pós-parto, população indígena, pessoas com 55 anos ou mais e pessoas com deficiência.
A vacinação da Influenza não protege contra o coronavírus, mas vai auxiliar os profissionais de saúde no diagnóstico para a Covid 19, ao descartarem os vários tipos de gripe na triagem da população vacinada.

A Secretária de Saúde parabeniza as equipes da Atenção Básica e todos os que se envolveram com a logística, com o incentivo e com a busca ativa das pessoas. “A vacinação é algo importantíssimo, do ponto de vista da saúde pública, uma vez que o risco das doenças voltarem é o risco da morte, de sequelas… É tudo o que não se deseja”, concluiu Ana Luíza.

Assessoria de Comunicação de Itajá

Postado por Iria Araujo

Publicidade: