Loading Player...


Você está ouvindo uma transmissão ao vivo ...
OUÇA EM OUTROS DISPOSITIVOS:
OR Choose your mobile to Tune-In

Lixo na rede de esgotos causa prejuízos para a população

C1

C2

C3

O uso inadequado da rede de esgoto é um dos problemas mais recorrentes para o sistema de esgotamento sanitário de uma cidade. Jogar lixo na rede, além de ser crime ambiental, traz enormes prejuízos para o serviço, como entupimentos, extravasamentos, mau odor e contaminação, entre outros. A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), por meio de seus projetos de educação ambiental, tem rotineiramente esclarecido sobre o uso correto do sistema. Um dos exemplos atuais foi o lixo retirado pela Caern na Ponta do Morcego.

Para o sistema de esgotamento sanitário, são considerados como esgoto apenas a água servida após a lavagem de louças e roupas, além das necessidades fisiológicas. As redes não estão preparadas, portanto, para outros materiais, como cotonetes, absorventes e fio dental jogados no vaso sanitário. Até o papel higiênico, se eliminado em grande quantidade, pode causar problemas.

Para eliminar o problema, a Caern precisa ir até o local da obstrução e utilizar uma mangueira de hidrojato, transformando o emaranhado de lixo em pequenos pedaços e fazendo com que a rede volte a funcionar normalmente. Quando o resíduo se torna muito grande, existe a possibilidade de removê-lo completamente.

Além disso, em alguns casos o lixo pode provocar danos às bombas das estações elevatórias, necessitando que o sistema seja paralisado para limpeza, resultando também a extravasamento de esgoto nas vias.

Para a Caern, resulta em uma sobrecarga das unidades preliminares de tratamento (grades), maior necessidade de transporte dos resíduos sólidos para os aterros e maior custo operacional, além de maiores custos com equipes de manutenção de rede e eletromecânica. Quem acaba tendo que arcar com estes custos extras é o próprio consumidor.

Quando não obstrui a tubulação, o lixo vai parar na Estação de Tratamento de Esgoto. A ETE do Baldo, por exemplo, recebia no ano passado cerca de 60 mil toneladas de lixo sólido e areia. Todo este material precisa ser retirado dos esgotos e enviado para aterros sanitários (por meio do processo de engradamento), para somente então iniciar o tratamento adequado dos efluentes.

CHUVAS

O superintendente de Operação e Manutenção de Natal, Lamarcos Teixeira, lembra que um problema adicional registrado em períodos de chuva é a ligação clandestina na rede de esgoto. Algumas pessoas ligam a tubulação de escoamento da água de chuva nas caixas internas de esgoto que têm em casa, fazendo com que ela seja levada para dentro do sistema de esgotamento sanitário da cidade.

A ligação de águas pluviais na rede de esgoto é crime ambiental. Nesses casos, a Caern, por meio da fiscalização, encaminha os casos à Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semurb), órgão com a competência para autuar em casos de crimes ambientais. À Caern, cabe apenas a responsabilidade sobre a rede de rua, de domínio público.

Escritórios da Caern e Centrais do Cidadão têm expediente diferenciado sexta (31)

Em função das movimentações de paralisação geral em vários setores da cidade, as Centrais do Cidadão e todas as unidades da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) no Estado terão um horário diferenciado de funcionamento nesta sexta (31). O expediente será corrido, das 7h30 às 13h30 na Caern, e até às 13h30 nas Centrais do Cidadão, respeitando o horário de abertura de cada unidade.

Assessoria de Comunicação Social – ACS

Publicidade: