Loading Player...


Você está ouvindo uma transmissão ao vivo ...
OUÇA EM OUTROS DISPOSITIVOS:
OR Choose your mobile to Tune-In

ÍTALO FERREIRA: Potiguar desbanca Medina e é primeiro nordestino a ser campeão mundial de surfe

O brasileiro Ítalo Ferreira – natural de Baía Formosa, no Rio Grande do Norte – fez história no final da noite desta quinta (19) ao conquistar pela primeira vez o título do Circuito Mundial de Surfe. O feito foi alcançado após ele derrotar Gabriel Medina na final no Billabong Pipe Masters, última etapa do Circuito Mundial de surfe, realizada na ilha de Oahu, no Havaí.

Com o triunfo desta noite o Brasil chega a seu quarto título mundial, após as conquistas de Gabriel Medina em 2014 e 2018, e de Adriano de Souza em 2015.

Ítalo chegou ao Havaí como líder do ranking do campeonato mundial com 51.070 pontos. Isso após a conquista das etapas de Gold Coast (Austrália) e de Peniche (Portugal).

Decisão brasileira

Na decisão Ítalo colocou pressão sobre Medina logo no início ao pegar duas boas ondas na sequência, recebendo 7,83 na primeira e 6,17 na segunda, somando o total de 14 pontos.

Já Medina pega um bom tubo para a esquerda e outro um pouco menor, o que lhe vale o total de 12,27.

O tempo passava, e Ítalo mantinha a vantagem, até que, faltando 13 minutos para o fim, Medina soma 5,17, alcançando o total de 12,94, mas precisando de 6,24 para virar a disputa.

E, faltando 7 minutos para o fim, o potiguar pega uma esquerda que termina com um aéreo incrível, somando 7,83. Assim, ele aumentou sua nota total para 15,56 e passou a obrigar Medina a alcançar 7,80.

A partir de então o potiguar passou a administrar a vantagem. Assim, o placar se manteve em 15,56 a 12,94 para Ítalo Ferreira até o final, o que lhe garantiu o título mundial

Caminho até a final

Após sete dias sem disputas, por conta da falta de boas ondas, a disputa da última etapa do Circuito Mundial de surfe foi reiniciada com a disputa das oitavas de final. Nesta etapa Ítalo deixou para trás o brasileiro Peterson Crisanto, vencendo por 11,84 a 4,23. O adversário nas quartas foi outro brazuca, Yago Dora, superado por 15,66 a 13,50. Por fim, nas semifinais o brasileiro teve o privilégio de superar o norte-americano, 11 vezes campeão, Kelly Slater por 14,77 a 2,57.

Após a derrota, o surfista de 47 anos disse que continua na ativa no ano de 2020.

Medina também não teve facilidade no caminho até a decisão. Nas oitavas ele deixou para trás o também brasileiro Caio Ibelli por 4,23 a 1,13. Nas quartas de final o desafio foi superar o havaiano, bicampeão mundial, John John Florence. O triunfo foi de 17,63 a 12,33. O último desafio antes da grande decisão foi o norte-americano Griffin Colapinto. O surfista de Maresias passou após vencer por 13,00 a 7,10.

Tóquio 2020

Agora a expectativa se volta para a participação do Brasil nos Jogos de 2020, em Tóquio, onde os representantes do país serão justamente Ítalo Ferreira e Gabriel Medina.

Agência Brasil

Fonte: Portal Grande Ponto

Publicidade: