Loading Player...


Você está ouvindo uma transmissão ao vivo ...
OUÇA EM OUTROS DISPOSITIVOS:
OR Choose your mobile to Tune-In

Escola da Assembleia abre vagas para 44 cursos no segundo semestre

ESCOLA

A Escola da Assembleia divulgou para o segundo semestre de 2017 o calendário de atividades letivas. A disponibilidade de vagas deve ser consultada de acordo com o grau do curso escolhido.

Para capacitação pessoal, a Escola dispõe de cursos de informática para o editor de textos Microsoft Word e também curso de música. A capacitação técnica oferece cursos de Legislação e Política Urbana; Eficácia do Serviço Público; Direito Administrativo; Assessoria de Imprensa no Setor Público, dentre outros.

Há ainda as oficinas técnicas. Nelas foram agrupados os cursos de fluxo processual, elaboração de projetos; gestão e planejamento; licitação e contratos.

No programa de pós-graduação, a Escola da Assembleia oferece Mestrado Profissional em Gestão Pública e Mestrado em Gestão da Informação e do Conhecimento, além de Doutorado em Administração Pública.

Enfermagem Oncológica

Para suprir uma demanda dentre as pós-graduações oferecidas, a Escola da Assembleia lançou também edital para a área da Saúde, com curso de especialização em Saúde Pública: Enfermagem Oncológica, com início ainda no segundo semestre de 2017.

A especialização tem como público alvo servidores da Assembleia Legislativa e dos órgãos conveniados à Escola até a data da publicação do Edital. Destina-se à qualificação de servidores dos Legislativos Federal, Estadual e Municipal, objetivando fomentar a modernidade do processo de gestão do Poder Legislativo e promover a valorização do servidor.

As inscrições estão abertas e seguem até o dia 25 de agosto, das 8h às 17h, na Central de Atendimento da Escola da Assembleia, localizada à Rua Açu, nº 426, Tirol.

Confira aqui o Edital completo.

Serviço

Escola da Assembleia, Rua Açu, 426, Tirol.
Telefone (84) 3232-1001. Site: www.al.rn.gov.br/portal/escola
Confira aqui a grade de cursos do segundo semestre de 2017.

Nelter questiona fechamento de zonas eleitorais e cobra mais segurança e estradas

NQ

No seu pronunciamento durante a sessão plenária desta terça-feira (1), o deputado Nelter Queiroz (PMDB) questionou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelo rezoneamento eleitoral que está sendo feito, provocando o fechamento de zonas eleitorais no interior. No caso do Rio Grande do Norte, já atingiu os municípios de Jardim de Piranhas, São Fernando e Timbaúba dos Batistas.

“Isso é um absurdo, prejudicando a população. As demandas desses municípios terão que ser resolvidas em Caicó, penalizando os munícipes. Estamos retroagindo há 30 anos”, critica Nelter.

O deputado afirmou que as medidas atingem a população mais simples. “Está acontecendo o que já houve no município de São Rafael e em outras cidades. Quando iremos ver os juízes e promotores sendo penalizados? É só o povo quem está sendo”, argumenta.

A medida do TSE está em andamento nas capitais e deve excluir pelo menos 72 zonas eleitorais. O Tribunal justifica que o trabalho será aprimorado, gerando redução dos custos e melhorando o atendimento ao eleitor. De acordo com o critério adotado, o município do interior de cada estado que tiver mais de uma zona eleitoral só poderá manter as duas unidades caso o quantitativo de eleitores da cidade seja maior que 70 mil por zona eleitoral.

Segurança e Estradas

Ainda em seu pronunciamento, o parlamentar fez um apelo ao Governo do Estado para que invista no combate à criminalidade. Nelter Queiroz citou recentes crimes ocorridos no Vale do Açu, com assassinatos e chacinas. “É um absurdo o crescimento destes crimes. As pessoas estão em suas casas e de uma hora para outra a bandidagem invade seus lares. Peço à Secretaria de Segurança, ao Governador e à Polícia Civil urgência para mobilizar a justiça e o Ministério Público, a fim de evitar esses crimes absurdos”.

Outro problema citado pelo deputado foi a questão da má conservação das estradas. Nelter criticou o governo anterior pela utilização de recursos enviados para a recuperação de estradas em outra finalidade. “O Estado ficou inadimplente porque o dinheiro foi usado em outra finalidade, piorando uma situação que se arrasta há muito tempo”, contestou.

Em aparte, o deputado Hermano Morais (PMDB) também demonstrou preocupação com essa questão dos recursos enviados pelo Ministério dos Transportes para a recuperação de estradas. “Em Guamaré, por exemplo, as estradas estão precárias, dificultando inclusive o acesso à refinaria Clara Camarão. Há uma necessidade urgente de se repor estes trechos para garantir a segurança de quem trafega transportando produtos e para quem visita nosso Estado”, concluiu Nelter.

Saúde e Segurança: os maiores problemas do Estado, disse Márcia Maia

MM

Na sessão que marcou o retorno do recesso parlamentar nesta terça-feira (1º), a deputada Márcia Maia (PSDB) destacou a sua preocupação em relação à situação da saúde e da segurança no Rio Grande do Norte. A parlamentar visitou 20 municípios durante o período de recesso e registrou relatos da população sobre o assunto.

“Aproveitei esses 15 dias para estar em contato com a população do interior e da capital do Rio Grande do Norte, ouvindo cada um para poder trazer ao plenário da Casa os pleitos, as cobranças e as necessidades de todas as regiões do nosso Estado”, disse Márcia.

Márcia Maia ressaltou ainda o Estado precisa investir em políticas públicas voltadas para a saúde e segurança. “São ações que dependem do Estado. A ausência do Poder Público está nos fazendo perder vidas, seja por meio da violência ou da precariedade dos serviços de saúde”.

Márcia esteve em municípios como Carnaúba dos Dantas, Apodi, Martins, Felipe Guerra, Severiano Melo, Lajes e Currais Novos. Além disso, ela ainda se reuniu com lideranças de Tenente Laurentino, Cerro-Corá, São José do Seridó e Serra Negra do Norte.

Ainda durante o pronunciamento, a deputada se solidarizou com a secretária Administrativa da Casa, Dulcineia Brandão, pela morte de seu marido.

Gustavo Carvalho requer remoção de lombadas da Reta Tabajara

GC5

O deputado estadual Gustavo Carvalho (PMDB) pediu a remoção dos redutores de velocidade instalados para a obra de duplicação do trecho da BR 304 conhecido como Reta Tabajara. De acordo com o parlamentar o medo e a insegurança vêm tomando conta dos motoristas que trafegam na rodovia desde a paralisação da obra, ocorrida em abril desde deste ano.

“A existência dessa sequência de lombadas está dando margem para que os bandidos usem o trecho para assaltos. A cada diz que passa ouço novos relatos de vítimas que passaram por momentos de medo que se transformaram em traumas”, destacou Gustavo Carvalho.

Como solução o deputado sugeriu a formação de comissão para solicitar ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) a retirada dos redutores de velocidade enquanto as obras estão paradas. “Espero que a obra seja retomada o quanto antes, mas por enquanto, eles estão sem finalidade. Quando as obras estavam acontecendo, apesar da demora naquele trecho, compreendíamos a necessidade dos redutores”, ressaltou.

A importância do trecho como via de acesso utilizada por um elevado número de pessoas que trafegam diariamente para o interior do Estado foi destacada pelos deputados George Soares (PR), Getúlio Rêgo (DEM) e Hermano Morais (PMDB). Em aparte, Hermano Morais destacou outro prejuízo decorrente pela paralisação da obra: o aumento do custo final. “A maioria das obras quando são interrompidas, passa por um aumento nos custos quando é retomada. O prejuízo atinge vários setores”, contribuiu.

Mais

Desde o dia 25 de abril, as obras de duplicação da Rodovia Federal BR-304, no trecho conhecido como “Reta Tabajara”, foram paralisadas em virtude de uma auditoria ordenada pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Kelps Lima anuncia movimento político em favor de policiais militares

KL

Em pronunciamento nesta terça-feira (01) na sessão ordinária da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Kelps Lima (Solidariedade) anunciou a deflagração de um movimento político para “salvar” os policiais do Rio Grande do Norte. Segundo o parlamentar, cresce a cada dia o número de agentes de segurança que estão morrendo ao reagir a assaltos enquanto estão atuando no segundo emprego como um “bico”, já que não podem ter um segundo vínculo profissional.

“A Constituição proíbe o segundo vínculo”, lembrou Kelps Lima, afirmando que uma sugestão apresentada por ele, caso fosse constitucional, seria o policial trabalhar como professor, com carga horária de 20 horas. “Já existe uma PEC aprovada na Câmara e em tramitação no Senado, possibilitando ao policial o segundo vínculo como professor”, relatou o parlamentar, chamando atenção para os senadores potiguares José Agripino Maia (DEM) e Garibaldi Filho (DEM), que tem acesso à Mesa Diretora do Senado.

“Não posso apresentar um Projeto de Lei porque a matéria não é de competência estadual, mas fica o meu registro e o apelo para os senadores”, afirmou Kelps, chamando atenção dos dois parlamentares citados. “Garibaldi e Agripino, que estão fazendo um movimento para salvar o presidente Michel Temer (PMDB), poderiam tentar salvar os policiais militares”, concluiu Kelps Lima.

ALRN

Publicidade: