Loading Player...


Você está ouvindo uma transmissão ao vivo ...
OUÇA EM OUTROS DISPOSITIVOS:
OR Choose your mobile to Tune-In

COVID-19: Isolamento social de 49,2% ainda está abaixo do recomendado

Em coletiva de imprensa, realizada nesta sexta-feira (12/6), o Governo do RN destacou que a taxa de isolamento social de 49,2% ainda está abaixo do considerado ideal, que é de 60%, e que o percentual está diretamente relacionado à contaminação pelo coronavírus (Covid-19), podendo contribuir para o aumento crescente dos casos confirmados da doença.

Os dados divulgados, hoje, na Escola de Governo, pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), mostram que o Rio Grande do Norte possui 13.544 casos confirmados, 22.613 casos em investigação, 23.144 casos descartados, 114 óbitos em investigação, e 509 óbitos (nenhum novo óbito nas últimas 24h).

A subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica, Alessandra Lucchesi, explicou que apesar de não ter ocorrido óbitos confirmados pelo coronavírus nas últimas 24h, a situação epidemiológica no RN continua muito preocupante para as autoridades de saúde pública e para sociedade. ”É necessário que as medidas de distanciamento social continuem sendo adotadas e apesar de apresentarmos nos finais de semana indicadores melhores de distanciamento social, 49,2% no dia de hoje, ainda há necessidade que essa taxa seja alcançada ao longo da semana”, explicou.

Com relação ao crescimento do número de casos confirmados, a Região Metropolitana de Natal tem o maior número de casos e a maior incidência de casos com relação a quantidade populacional. Em segundo lugar a região de Mossoró e em terceiro o Vale do Assu. Uma nova região está se destacando no crescente número de casos, que é a região de João Câmara. “Vale destacar um comportamento diferencial da 3º Região de Saúde, a de João Câmara, que tem apresentado uma incidência nessas últimas semanas epidemiológica crescente. Há uma preocupação em como tem se dado a expansão da pandemia na região”, pontuou Lucchesi.

A taxa de ocupação geral dos leitos clínicos/UTI no RN está com 93,9%, com 753 pacientes internados, sendo 381 pacientes em leitos clínicos e 372 em leitos críticos. Nas regiões de Mossoró e Pau dos Ferros a taxa de ocupação é de 100% dos leitos, em Caicó 74,1% e 96% de ocupação na Região Metropolitana. Existem 130 pacientes, de prioridades diferentes, que estão aguardando regulação para leitos críticos ou clínicos.

“O trabalho integrado entre o Estado, as prefeituras e as instituições parceiras nos revelam uma situação epidemiológica mais favorável em relação aos demais estados do Nordeste. Porém, não podemos parar com as ações, elas precisam ser intensificadas e cada vez mais com a participação da população”, finalizou Lucchesi.

PROFISSIONAIS DE SAÚDE

Uma preocupação do Governo do RN são os profissionais de Saúde que estão na linha frente no combate à Covid-19. A subcoordenadora do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, Kelly Lima, participou da coletiva e ressaltou que o Estado vem trabalhando em ações direcionadas a esses profissionais.

“Podemos pontuar uma ação muito importante, o Acolhe-RN. Desenvolvida em parceria com o Hotel Barreira Roxa, os trabalhadores e trabalhadoras da saúde, que residem com pessoas do grupo de risco, estão sendo acolhe no hotel. Dentro do Acolhe-RN nós desenvolvemos, juntos com a UFRN, um apoio psicológico com relação a saúde mental dos profissionais”, disse Kelly Lima.

O Apoio Psicológico é feito de forma online e vários psicólogos da UFRN fazem o atendimento ao trabalhadores. Dependendo da situação, o profissional da saúde pode ser encaminhado para o atendimento presencial com a psiquiatra do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador do Estado (Cerest), que atende na Sesap.

Kelly Lima ressaltou que não existe falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) nas unidades hospitalares do Estado. “Os equipamentos existem para todos e o que estamos fazendo é uma orientação acerca do uso consciente desses EPIs. Além disso, existe uma capacitação que está sendo realizada nas unidades hospitalares para que os profissionais usem esses equipamentos da forma correta e segura”, explicou.

Além disso, o Cerest emitiu uma Nota Recomendatória a todos os municípios para o desenvolvimento de ações direcionadas aos trabalhadores essenciais, como agricultores, motoboys, feirantes, atendentes de supermercados e farmácias. Mais de 73 municípios aderiram à Nota e já estão desenvolvendo ações direcionadas para esses profissionais.

O Governo também está realizando fiscalizações nas empresas para verificar a adoção das medidas sanitárias de saúde.“Estamos também fazendo inspeções em vários ambientes de trabalho. Elas podem ser feitas a partir de denúncias da Ouvidoria da Sesap e também em parceira com o Ministério Público do Trabalho. Já realizamos inspeções em ambientes como indústrias salineira, de mineração, eólicas, uma série de indústrias que tem um quantitativo grande profissionais. Então, estamos realizando essas inspeções a fim de garantir a segurança nesses ambientes de trabalho”, ressaltou Lima.

CASOS COVID-19 EM PROFISSIONAIS DA SAÚDE

Já foram realizados mais de 10 mil testes de Covid-19 em profissionais de saúde do estado, municípios e da rede privada de saúde, sendo que hoje 1.856 profissionais de saúde testaram positivo para a doença. Desses, 66% usavam EPIs e 32% relataram falta de algum equipamento.

Dos profissionais que testaram positivo a maioria foi na categoria de técnicos de enfermagem, em segundo enfermeiros e em terceiro os médicos. Cerca de 68% dos profissionais acometidos pela Covid-19 tiveram sintomas leves ou moderados e houve 15 óbitos na categoria. A região metropolitana é a que registra mais casos de profissionais de saúde contaminados, seguida pela região de Mossoró.

Portal no Ar

Publicidade:
Dra Isabela